Se 2020 foi o ano das ligações da Zoom, 2021 poderia ser o momento de retornar à escrita de cartas tradicional? O romance de Felicity Jones e Shailene Woodley na Netflix pode fazer você se sentir inspirado a colocar a caneta no papel.

Adaptado de The Last Letter From Your Lover , um romance de Jojo Moyes (também conhecida por escrever Me Before You), o próximo drama de narrativa dupla se passa em duas épocas diferentes, seguindo as vidas e amores de Jennifer Stirling (Shailene Woodley), uma mulher americana que viveu em Londres dos anos 1960 e a jornalista londrina contemporânea Ellie Haworth (Felicity Jones). Embora com décadas de diferença de idade, as vidas das duas mulheres estão entrelaçadas quando Ellie se depara com algumas cartas de amor dolorosamente bonitas endereçadas a Jennifer nos arquivos do jornal onde ela trabalha.

Cartas de amor perdidas que viriam à tona décadas depois podem soar como material para uma visão excessivamente sentimental, mas Felicity Jones – que estava ansiosa para trabalhar em um projeto com a romancista Jojo Moyes por algum tempo – ficou encantada com o romance da história, mas sem “sentimentalismo“. “No momento em que recebi o roteiro, as estrelas simplesmente se alinharam”, disse ela à EW. “Eu gostei de como era humano; foi apenas uma resposta imediata. Foi muito divertido, além de ser bastante emocional.

Quando Shailene Woodley entrou no projeto mais tarde, foi a chance de trabalhar com a diretora Augustine Frizzell (Never Goin ‘Back , Euphoria) que a deixou pronta para assinar, sem perguntas. “Antes mesmo de ler o roteiro, estava inclinada a dizer sim”, diz ela. “Eu estava realmente querendo trabalhar com Augustine e simplesmente a amava como um ser humano… Então eu li o roteiro e foi muito bem executado – não sinto que muitos filmes sejam contados dessa forma e também são executados de uma forma totalmente divertida e inteligente.

Além do material de origem e da diretora, Felicity Jones e Shailene Woodley se viram atraídas por uma história de mulheres descobrindo suas identidades e acertando as contas com as decisões românticas de vida que tomaram. “Você testemunha a jornada de uma mulher em como ela escolhe viver sua vida“, diz Shailene Woodley, cuja personagem, Jennifer, se apaixona pelo problemático jornalista Anthony O’Hare (Callum Turner) enquanto é casada com um amedrontador rico, mas frio Laurence Stirling ( Joe Alwyn) . “Você reconhece as lutas que vêm em ser mulher, especificamente naquela época, tomar decisões por si mesma e escolher um caminho que talvez não seja o mais desgastado, mas é o mais gratificante. Não há muitas histórias sobre mulheres que tomam decisões por si mesmas, embora haja sérias consequências e repercussões.

Da mesma forma, Jones gostou da “investigação das mulheres apaixonadas“ e de ver a justaposição da história contemporânea com uma história dos anos 60. “Com Ellie, ela é alguém que passou por momentos difíceis em um relacionamento anterior e perdeu a esperança no amor, mesmo existindo”, diz Felicity Jones sobre sua personagem. “Quando ela se depara com essas cartas sobre um amor completamente descarado e apaixonado, realmente começa a fazê-la sentir que talvez haja esperança e uma possibilidade de conexão verdadeira, mas é feito de uma forma muito simples e verdadeira.“ Algo mais de que ela gostou em seu personagem? “Adorei a ideia de que ela está sempre com um pouco de ressaca”, diz ela rindo. Relatável.

Embora as jornadas das mulheres sejam o foco da história, os homens ao redor também têm os seus próprios caminhos irregulares para percorrer, e quando se tratava de escalar, foi evitando a escolha óbvia que animava os personagens e acrescentava dimensão. “Joe é um ser humano naturalmente gentil, caloroso e acolhedor“, diz Shailene Woodley de Alwyn, que interpreta o seu marido insensível, chauvinista e desdenhoso. “Eu sempre gosto de quando o elenco me surpreende um pouco e coloca os atores em papéis que você não necessariamente presumiria que eles ocupariam.” Embora cada relacionamento de Jennifer com os dois homens seja muito diferente, Shailene Woodley descobriu que naturalmente tinha química com cada um. “Trabalhar com Joe e Calum [Turner] foi incrível”, diz ela. “A coisa bonita sobre o que fazemos é quando você tem aqueles raros momentos em que você tem energia cinética natural com alguém. Não há muito que você tenha que fazer como ator, porque você pode se apoiar e confiar fortemente em qualquer coisa de eletricidade que está acontecendo entre vocês dois. Eu me senti assim com os dois. Tive muita, muita sorte de me estabelecer na energia natural que existia e então deixar os personagens se desenvolverem dentro da essência disso.

Enquanto Jennifer estava ocupada nos anos 60 com um marido e amante, nos dias atuais Ellie se aproxima do arquivista do jornal, ajudando-a a vasculhar a biblioteca, interpretado por Nabhaan Rizwan (‘1917‘). Assim como Shailene Woodley, Felicity Jones descobriu que tinha um relacionamento natural com o seu co-ator. “Nabhaan é apenas uma alegria“, diz Jones. “Ele é muito, muito engraçado na vida real e traz muita facilidade para as suas performances. Lembro-me de pensar imediatamente que ele era incrivelmente naturalista e tinha simplicidade em suas atuações.

Cartas de amor e complicações à parte, os fãs do livro estarão ansiosos para ver o guarda-roupa de Jennifer. Como o romance conta, ela tem um armário no estilo de Nárnia com vestidos, chapéus e saltos luxuosos. A produção trouxe a especialista em roupas de época, a figurinista Anna Robbins (Downton Abbey) para levar esses looks da página para a tela. “Houve muita colaboração no que diz respeito ao guarda-roupa de Jennifer e ela se expressa quando se trata de moda”, diz Woodley. “As roupas dela refletem a trajetória e a mudança que você vê nela ao longo da história, conforme ela se torna mais confortável consigo mesma, então nós realmente nos apoiamos nesse aspecto. E apenas do ponto de vista pessoal, depois que o filme foi feito, eu pensei, ‘Então eu consigo ficar com tudo isso, certo? Os chapéus, as luvas, tudo isso?’ Foi só um sonho. No final, consegui ficar com um dos vestidos de baile e alguns chapéus.

Ambas as atrizes – que também atuam como produtoras executivas do filme – esperam que, apesar do atual estado de isolamento do mundo, o filme possa lembrar as pessoas de como qualquer forma de comunicação pode ser gratificante. “Acho que será um filme muito edificante e agradável de assistir, que tirará a mente de momentos muito difíceis“, diz Jones.

Então, as estrelas vão se despedir do Zoom e, em vez disso, escrever cartas para alcançar aquele senso de conexão humana? “Na verdade, me apaixonei por um de meus ex-namorados por meio de cartas”, diz Woodley. “Elas são uma parte tão grande do meu mundo. Eu escrevo uma ou duas por semana. Então, quando eu li o roteiro, parecia uma ode a romântica desesperada dentro de mim.” Jones não é uma correspondente tão comprometida. “Eu tenho aquela pressão interminável de cartas de agradecimento que às vezes estou cerca de dois anos para escrever – eventualmente eu dou atenção a elas” ela diz, embora concorde, “não há nada melhor do que ver uma carta chegando. Acho que o filme será um ótimo antídoto para tudo se tornar tão virtual durante a pandemia e se mais pessoas acabarem colocando a caneta no papel este ano, isso é adorável.

Fonte: EW

Tradução & Adaptação: Equipe SWBR